Correção: Juiz suspende sistema de cotas na UFSC

A nota enviada anteriormente contém um erro. A liminar que determinou a suspensão do sistema de cotas para estudantes negros e oriundos de escolas públicas na UFSC foi concedida pelo juiz Gustavo Dias de Barcellos, do Tribunal regional Federal da 4ª Região de Florianópolis, e não pelo Ministério Público, que não tem esta atribuição. O MP é o autor do pedido da liminar. Segue o texto corrigido: O juiz Gustavo Dias de Barcellos, da 4ª Vara Federal de Florianópolis determinou a suspensão, por liminar, do sistema de cotas para estudantes negros e oriundos de escolas públicas na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Segundo a assessoria de imprensa do Ministério Público Federal (MPF), que pediu a suspensão, a decisão do juiz foi tomada porque as cotas foram criadas por uma resolução interna da universidade, e não por lei."O juiz não é contra o sistema de cotas. A suspensão se deve porque as cotas foram estabelecida pela resolução normativa de numero 8, em 2007, e não por lei", disse a assessoria do MPF. A assessoria da UFSC não foi localizada para comentar a decisão e o gabinete do reitor informou que ele está de férias.

ANDRÉIA SADI, Agencia Estado

21 de janeiro de 2008 | 16h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.