Correção: Motoboy é condenado a 31 anos

A nota enviada anteriormente contém uma incorreção: o homicídio ocorreu em 13 de setembro de 2011 e não 2013. Segue matéria corrigida:

EDGAR MACIEL, Agência Estado

17 de setembro de 2013 | 19h01

O motoboy Sandro Dota foi condenado nesta terça-feira, 17, a 31 anos de prisão pelo homicídio e estupro da cunhada Bianca Consoli, em 13 de setembro de 2011. A decisão dos sete jurados foi unânime.

O julgamento terminou no início da noite no Fórum Criminal da Barra Funda, na zona oeste de São Paulo. Durante o júri, que durou dois dias, Dota admitiu ter cometido o crime, mas negou a violência sexual contra a jovem de 19 anos. Já a promotoria insistiu na premeditação do homicídio e pediu aos jurados que o réu fosse condenado pelos crimes de homicídio e estupro.

Caso

No dia 13 de setembro de 2011, a jovem Bianca Consoli foi encontrada morta pela sua mãe, Marta Maria Ribeiro Consoli, na zona leste da capital paulista. A estudante tinha um saco plástico na boca e sinais de agressão pelo corpo. Segundo a perícia, ela foi imobilizada, asfixiada e abusada sexualmente. O cunhado Sandro Doto, de 42 anos, considerado o principal suspeito, foi preso preventivamente em 12 de dezembro de 2011.

Mais conteúdo sobre:
motoboyjulgamentocondenação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.