Corrupção abala a credibilidade de campeonatos

Na Bósnia, Croácia e Sérvia ninguém acredita na legitimidade dos resultados

, O Estadao de S.Paulo

23 de novembro de 2009 | 00h00

As denúncias feitas pela Uefa e autoridades policiais alemãs na sexta-feira sobre manipulação de resultados em partidas de futebol disputadas em vários locais da Europa tiveram desdobramentos ontem, principalmente nos países balcânicos, como Bósnia, Croácia e Sérvia. Na Bósnia, por exemplo, ninguém ligado ao futebol local ficou surpreso pelas denúncias, já que a crença generalizada no país é de que as fraudes sistemáticas estão afugentando os torcedores dos estádios e deteriorando a imagem do esporte.

Segundo fontes não oficiais, várias partidas da liga bósnia estão sob suspeita de fraude, como o jogo Leotar 4 x 3 Slavija, disputado no ano passado, quando muitos jogadores da primeira equipe foram filmados dias antes da partida apostando somas elevadas de que seriam marcados sete gols na partida.

Também está sob investigação o suposto arranjo de resultado no jogo classificatório para a Copa dos Campeões de 2006 entre Zrinjski Mostar e Dudelange, de Luxemburgo.

"O campeonato bósnio não tem nenhuma credibilidade. Já no início da temporada se sabe quem vai entrar na Copa dos Campeões e quem ficará fora", disse Mehmed Janjos, treinador em Saravejo.

Já as autoridades croatas investigam a possível manipulação dos resultados de 14 partidas da 1ª Divisão do país.

O jogador chileno Maria Berríos assegurou que durante sua passagem pelo futebol da Sérvia e da Malásia pessoas ligadas às máfias das apostas lhe ofereceram dinheiro para que ajudasse sua equipe a perder certos jogos. "Por isso não me surpreende em nada as denúncias feitas agora pela Uefa", disse Berríos. "Os mafiosos falam com dois ou três jogadores de determinado time e, pronto, eles conseguem facilmente os resultados que desejam."

Em Berlim, surgiu a denúncia de que um árbitro da Federação Alemã de Futebol figura entre os suspeitos de arranjar resultados em partidas da liga regional do sul da Alemanha, disputada em maio. "Vamos prender essa gente que não tem nada o que fazer em nossa casa", garantiu o presidente da federação, Theo Zwanziger.

A atual denúncia sobre a máfia de resultados é o maior escândalo do futebol europeu, envolvendo cerca de 200 partidas em mais de nove países. Os lucros dos apostadores ilegais podem ultrapassar os 10 milhões (R$ 25,6 milhões), dizem os investigadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.