Cozinheira de madame: Cleuza Almeida do Carmo

Cozinheira de Juliana Pereira

21 Maio 2009 | 10h16

No tabuleiro da baiana Cleuza Almeida do Carmo tem receitas e experiência de sobra. Aos 51 anos, ela já trabalhou para famílias tradicionais de São Paulo, como os Malufs, e famosos, como o clã de Amaury Júnior. "Às vezes, ainda vou até lá ajudar em festas", conta Cleuza, que há dois anos prepara as refeições da família de Juliana Ferreira Goulart Pereira. Tudo o que vai à mesa, ela aprendeu a fazer na prática, testando. "Quando tem os ingredientes, faço qualquer coisa. Não preciso de muita explicação", diz a cozinheira. "Sempre que trabalho em um jantar com outros profissionais, também aprendo uma receita nova." Entre os pratos de maior sucesso de Cleuza estão a feijoada e, como boa baiana, a moqueca, que ela faz com robalo e camarão. "Mas pode ser com outro peixe de carne firme", ela ensina. "Com quem aprendi essa receita?", diverte-se Cleuza. "Adivinha! Não foi na Bahia, não. Foi com o meu patrão, o senhor Flávio, que adora cozinhar. E fica uma delícia. Sirvo em travessa de barro, com arroz e pirão, e não sobra nada", garante a cozinheira, que também arranca elogios para seu feijão bem temperadinho e com linguiça. Veja também: Receita de moqueca de peixe

Mais conteúdo sobre:
Paladar madame

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.