'Cream cheese? It's re-quei-jão'

Mesmo no exterior, os brasileiros não passam sem requeijão. Nos EUA, é preciso cuidado com o nome, algo como 'queijo cremoso para espalhar'. Na Noruega também tem, mas é dinamarquês! Aproveitamos e damos ainda a receita do suflê romeu-e-julieta do Carlota

Michelle Alves de Lima, O Estado de S.Paulo

21 Fevereiro 2008 | 04h09

Se você tenta explicar a um americano o que é requeijão, ele logo pensa que você esta falando de cream cheese. Mas o queijo cremoso deles é muito diferente do nosso famoso laticínio, que chega às prateleiras dos supermercados especializados em produtos brasileiros como "cream cheese spread" (algo como "queijo cremoso para espalhar"). "Depois do guaraná e do pão de queijo, o requeijão é o produto que mais vendemos", conta Claudio Rocha, gerente do supermercado Rio Bonito, em Astoria, no Queens, distrito de Nova York conhecido por abrigar uma grande comunidade brasileira. Os consumidores do requeijão são mesmo os brasileiros. "Os americanos estão habituados ao cream cheese e não têm o costume de experimentar coisas novas", diz o mineiro Rocha, que mora há sete anos em Manhattan e é consumidor do queijo. "Uso na receita do bobó de camarão aos quatro queijos e, claro, com pão." Entre as marcas encontradas no Rio Bonito, chama a atenção uma inédita no Brasil: o Mimoso, produzido pela empresa americana Leblon Foods. A idéia e as receitas vieram de Marcelo Ferreira, goiano criado em Brasília que mora nos EUA há 20 anos. "Vim para cá estudar marketing e percebi que era quase impossível encontrar queijos brasileiros. Arrumei um trabalho temporário em uma empresa de leite e apresentei minha idéia de fabricar nossos queijos. Acabei arrumando um investidor", conta Ferreira, que hoje tem sociedade com os "judeus do leite" de Nova York. "São eles que controlam todo o leite do Estado." O requeijão Mimoso, encontrado cremoso e em barra, é fabricado em Syracuse, Nova York, com a mesma técnica e receita usadas no Brasil. "Os produtos são iguais, o que muda é o leite, que aqui tem mais gordura e por isso é mais saboroso", explica Marcelo, que pretende inserir o produto nos mercados americanos ainda este ano. "Acabo de lançar uma linha nova com queijos americanos orgânicos, a Windy Ridge Farm, e o requeijão vai fazer parte dela, com o nome de Gourmet Cream Spread." Suflê de goiabada com calda de catupiry 1 hora 6 porçÕes Ingredientes Suflê 8 claras; uma pitada de sal; 425g de goiabada cremosa; Calda: 410 g de queijo catupiry; 350 ml de leite Preparo Suflê: Bata as claras em neve, adicione uma pitada de sal quando surgirem os picos. Coloque goiabada aos poucos. Com um fouet, misture os ingredientes e distribua o suflê em fôrmas individuais. Não unte. Leve ao forno preaquecido a 200ºC. Calda: Numa panela em banho-maria junte o catupiry e o leite. Misture bem. Sirva o suflê com a calda de catupiry à parte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.