Cresce turismo de luxo de argentinos no Brasil, diz Clarín

Turistas 'vip' estariam trocando resorts argentinos por praias de Santa Catarina.

BBC Brasil, BBC

16 de janeiro de 2008 | 10h20

O segmento de turistas argentinos "vip", ou ricos, é o que mais cresce no sul do Brasil. O aumento teria sido de 20% em relação à temporada passada, segundo reportagem do jornal argentino Clarín desta quarta-feira.O levantamento do jornal foi feito na Secretaria de Turismo de Santa Catarina (Santur) e nos principais hotéis e resorts da ilha. O crescimento do turismo argentino em geral teria sido a metade do de luxo: apenas 10% em Florianópolis.Segundo o Clarín, a representante da Santur Lisiane Chaussard afirmou que houve uma mudança no perfil dos turistas argentinos, que "demanda luxo e que não esteve presente nos anos anteriores"."As consultas se multiplicaram em dezembro", afirmou Chaussard ao diário argentino."Acreditamos que seja gente que pensou em ir para Cariló (descrito pelos argentinos como um dos resorts mais exclusivos da Costa Atlântica argentina, por exemplo, mas notou que os preços são semelhantes aos dos melhores hotéis do Brasil e optou por vir para cá."'Sem comparação'A reportagem do Clarín entrevistou uma família argentina que passava férias em Costão do Santinho, a 35 km de Florianópolis, e que comprova a teoria da Santur.Ariel Audizio disse que em outubro tentou alugar uma casa em Cariló, mas o preço estava muito mais caro e não tinha comparação com o resort brasileiro.O jornal cita ainda os preços dos hotéis de luxo da região e outro turista "vip" argentino, Mário Smith, que disse que em Florianópolis se consegue "o dobro de luxo por quase o mesmo dinheiro"."Como ele, são cada vez mais os compatriotas que escolhem tirar férias nas piscinas climatizadas, praias privativas e campos de golfe dos estabelecimentos do sul do Brasil", afirma o Clarín. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.