Criador de 'Gaia' propõe mecanismo contra efeito estufa

Gigantescos canos instalados nos oceanos ajudariam algas a retirar p excesso de CO2 da atmosfera

Efe,

26 de setembro de 2007 | 14h16

O cientista britânico James Lovelock, pai da Hipótese de Gaia, propõe recorrer aos oceanos para ajudar a Terra a combater, por si só, o aquecimento global.   Em carta publicada na revista científica britânica Nature, Lovelock sugere instalar canos gigantes nos oceanos que provoquem a mistura de águas de diferentes profundidades, para fertilizar as algas da superfície marinha, de modo que possam retirar mais dióxido de carbono (CO2) da atmosfera.   O cientista, cuja Hipótese de Gaia propõe que a Terra funciona como um organismo vivo, capaz de se auto-regular, afirma que os oceanos, que ocupam mais de 70% da superfície terrestre, constituem um "espaço promissor" para estimular a recuperação do planeta em virtude da mudança climática.   Juntamente com o co-autor da Hipótese de Gaia, Chris Rapley, Lovelock propõe instalar gigantescos canos verticais que poderiam flutuar livremente nos oceanos para promover a mistura das águas dasuperfície e as frias do fundo do mar, ricas em nutrientes.   Segundo o cientista, os canos permitiriam bombear as águas que se encontram a entre 100 e 200 metros de profundidade, fazendo com que as algas da superfície florescessem, contribuindo para a redução dodióxido de carbono.      De acordo com o cientista, o processo também permitiria a produção de sulfureto de dimetila por algumas bactérias dos oceanos. Na atmosfera, a substância promove a formação de nuvens, ajudando na reflexão dos raios solares e, por sua vez, na refrigeração do planeta.      "Semelhante proposta talvez pudesse fracassar no campo econômico ou da engenharia", reconhece Lovelock.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.