Criador não acha que videogame seja obra de arte

O japonês Hideo Kojima – criador de Metal Gear – gosta de polêmica. Seu humor cáustico, detalhismo e narrativa envolvente o fizeram famoso, ao ponto de ser considerado um dos maiores artistas da indústria. Mas ele faz questão de frisar que não faz arte. Ele se considera apenas um criador de jogos. Kojima, hoje com 44 anos, começou cedo na indústria de jogos. Em 1986, ele foi trabalhar na Konami, uma jovem empresa que fazia sucesso com seus games no MSX. Apesar das dificuldades iniciais de adaptação, ele perseverou e foi se superando. O resultado foi uma obra que, além de Metal Gear, conta com títulos bastante influentes, como os inesquecíveis Zone of the Enders (PS2), Snatcher e Policenauts (PC, Sega CD, PS1). O segredo de Kojima é pensar nos jogos como filmes, com histórias densas e reviravoltas. Kojima trabalha na produção de um futuro filme baseado em Metal Gear

23 Junho 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.