Criança admite ter incendiado escola após discussão

Um menino de 12 anos confessou ter incendiado parte da Escola Municipal Onero Costa, na qual estuda, em Luís Eduardo Magalhães, extremo oeste da Bahia, depois de discutir com uma professora, na última terça-feira. Segundo o delegado Rivaldo Luz, a criança teve a ajuda de um colega de classe, da mesma idade, que também admitiu ter participado da depredação. Eles usaram um isqueiro para produzir o fogo.

TIAGO DÉCIMO, Agência Estado

30 de agosto de 2012 | 17h33

As crianças provocaram dois incêndios na escola. O primeiro durante o intervalo das aulas da tarde, por volta das 15h30, pouco depois da discussão entre a professora e o aluno, e ficou restrito às cortinas da sala na qual ele estudava. Na segunda ação, por volta das 19 horas, depois do fim do funcionamento da escola, os meninos atearam fogo a outras salas e à biblioteca - que foi parcialmente destruída pelas chamas.

O vigia do turno da noite, que estava sozinho, notou o fogo e chamou vizinhos, professores, alunos e familiares para ajudar a combater o incêndio. Foram usados baldes de água para apagar o fogo. A escola tem cerca de 800 estudantes, que não tiveram aulas desde a ocorrência. A previsão é que a instituição volte a funcionar na próxima segunda-feira.

Os estudantes que admitiram ter provocado o incêndio foram liberados depois de prestar depoimento. O caso foi encaminhado ao Ministério Público.

Mais conteúdo sobre:
escolaincêndioBahia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.