Criança teve doença diagnosticada aos 4 meses de idade

Shayene, de 5 anos, tinha apenas quatro meses quando sua mãe, Luanda Bonfim Coelho, 28, percebeu que seus dois olhos estavam ficando cinzas.

, O Estado de S.Paulo

20 Junho 2011 | 00h00

Preocupada, marcou uma consulta com um oftalmologista. Levou um susto ao receber a notícia do médico. "Ele me disse para eu correr, senão minha filhinha poderia ficar cega. Ela estava com catarata em estágio avançado."

O médico do posto de saúde disse que, se a menina tivesse feito o teste do olhinho ao nascer, já teria sido possível observar o início da catarata e tratar antes de avançar.

A mãe tentou marcar a consulta, mas só havia vaga para meses depois. Luanda procurou então o Instituto Catarata Infantil, uma ONG no Rio de Janeiro que presta atendimento para crianças de baixa renda diagnosticadas com o problema. Com o diagnóstico confirmado, Shayene fez a primeira cirurgia para retirada da catarata aos oito meses de idade. Depois fez outras duas operações. Hoje a menina frequenta a escola regularmente, mas continua em tratamento. "É uma criança normal", diz a mãe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.