Criminosos incendeiam ônibus em Santa Catarina

Santa Catarina enfrentou outra noite de atentados e mais uma cidade entrou na lista de alvo dos bandidos. Em São Francisco do Sul, no litoral norte do Estado, um grupo de homens interceptou um ônibus por volta da 0h45 deste sábado e ateou fogo ao veículo após pedir para passageiros, motorista e cobrador desembarcarem.

DANIEL CARDOSO, Agência Estado

17 de novembro de 2012 | 13h01

Os criminosos também atacaram unidades policiais. O primeiro ataque ocorreu às 23h30 da sexta-feira, quando dois homens de moto dispararam cinco tiros contra a base da Polícia Militar, no Campeche, em Florianópolis. Havia apenas um policial no local, que não ficou ferido.

Por volta da 1h30 do sábado, criminosos jogaram um coquetel molotov em um veículo estacionado no pátio de uma delegacia. O carro estava no local porque havia sido apreendido.

Em São José, no bairro Areias, os bandidos alvejaram a base da Guarda Municipal, atingindo com 10 tiros o prédio da instituição e duas viaturas que estavam estacionadas no pátio. O ataque ocorreu às 3h30.

"Apesar dos ataques, fica evidente que a onda de violência perde força. Isso ocorre pela presença ostensiva das polícias nas ruas e do trabalho de inteligência", afirmou João Batista Réus, major do Centro de Comunicação Social da PM. Desde o início dos ataques, 47 pessoas foram detidas por envolvimento com os atentados.

O estado de tensão da população, porém, é evidente. Nesta madrugada, a polícia recebeu denúncias com base em eventos rotineiros. Em Gaspar, um grupo de pessoas fazia uma fogueira na praia próximo a duas Kombis. Com medo, algumas pessoas pensaram que era um incêndio e ligaram para denunciar.

Outro caso foi de um caminhoneiro em Itajaí que fazia uma fogueira à noite e, após denúncia por telefone, acabou sendo abordado pela polícia para apuração dos fatos. "Isso mostra que as pessoas ainda estão tensas, mas atentas a qualquer caso", explicou o major.

Tudo o que sabemos sobre:
violênciaônibusFlorianópolisSC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.