Crise já afeta balança comercial em outubro

O superávit comercial brasileiro recuou em outubro, mês em que as exportações caíram além do esperado frente a setembro e as importações ficaram praticamente estáveis, mostraram números do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior nesta segunda-feira. O superávit comercial foi de 1,207 bilhão de dólares no mês passado, o pior resultado em sete meses, registrado em meio a uma disparada do dólar. Na comparação com o superávit de 2,754 bilhões de dólares de setembro, a queda do saldo foi de 56 por cento. Nesse período, as exportações caíram 7,5 por cento, para 18,512 bilhões de dólares, e as importações aumentaram em 0,2 por cento, a 17,305 bilhões de dólares. "Há um certo receio de exportadores de fechar os contratos de longo prazo, dada a volatilidade do dólar", afirmou a jornalistas o secretário de Comércio Exterior do ministério, Welber Barral. "Os importadores também estão cautelosos diante da volatilidade", disse Barral, acrescentando que as festas de fim de ano dos brasileiros tendem a ter mais produtos brasileiros do que os anos anteriores. O secretário destacou que, em outubro, as exportações brasileiras tradicionalmente recuam cerca de 4 por cento frente ao mês anterior por conta principalmente do fim sazonal dos embarques de soja. Neste ano essa queda teria sido maior devido, principalmente, aos efeitos da crise financeira global. Barral garantiu, contudo, que o governo não tem a intenção de alterar a meta de 202 bilhões de dólares para as exportações este ano. O crescimento das importações há dois meses do Natal também ficou abaixo do esperado. A moeda norte-americana acumulou alta de 13,3 por cento no mês passado, período marcado por uma luta constante dos governos ao redor do mundo contra a baixa liquidez e a escassez de linhas de crédito. Apesar da queda frente a setembro, as exportações foram recordes para meses de outubro, com crescimento de 17,4 por cento frente ao mesmo mês de 2007. As importações, contudo, dispararam 40,3 por cento na mesma comparação. No ano, o superávit comercial brasileiro soma 20,845 bilhões de dólares, frente a 34,373 bilhões de dólares acumulados no mesmo período de 2007. Analistas consultados pelo Banco Central projetam um superávit comercial de 24 bilhões de dólares para a balança em 2008.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.