Croácia prende ex-chefe de inteligência procurado na Alemanha

A Croácia prendeu nesta quarta-feira um ex-chefe de inteligência procurado na Alemanha, em uma resposta a questionamentos sobre sua legislação sobre extradições que lançaram uma sombra sobre sua entrada na União Europeia mais cedo neste ano.

Reuters

01 de janeiro de 2014 | 16h18

Josip Perkovic foi uma das dez pessoas presas, afirmou a agência de notícias estatal Hina, depois que passou a vigorar uma emenda na legislação sobre extradições do país que deixou a Croácia alinhada com os procedimentos adotados na maior parte do bloco.

Perkovic era procurado por conexão com o assassinato em 1983 de um dissidente iugoslavo na Bavária, que teria sido orquestrado por serviços secretos comunistas da Iugoslávia para os quais ele trabalhava na época.

Ele negou os feitos. Seu advogado, Anto Nobilo, disse à televisão estatal HRT que Perkovic era contra a extradição, acrescentando que ele não esperava um julgamento justo na Alemanha e que já havia sido investigado e livrado de todas as acusações na Croácia.

Pouco antes de entrar na União Europeia, em 1o de julho, Zagreb mudou suas leis para evitar a extradição de suspeitos de crimes cometidos antes de 2002, quando novas leis de extradição da UE passaram a vigorar.

O governo disse que queria proteger veteranos da guerra de independência da Croácia, ocorrida de 1991 a 1995, de enfrentar potenciais processos no restante da UE, e negou qualquer conexão com o caso Perkovic. Alguns países membros do bloco têm o mesmo prazo de 2002.

(Reportagem de Zoran Radosavljevic)

Mais conteúdo sobre:
CROACIAUEPRISAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.