Cruz gigante marca 70 anos de execuções stalinistas

Joseph Stalin ordenou execuções em massa de opositores na década de 30.

BBC Brasil, BBC

08 de agosto de 2007 | 14h52

Uma cruz gigantesca relembrando as vítimas das execuções comandadas pelo líder soviético Joseph Stalin na década de 30 foi inaugurada em uma cerimônia nesta quarta-feira, nos arredores de Moscou.A cruz de madeira - de 12,5 metros de altura por 7,6 metros de largura - foi colocada em Butovo, no local de um antigo centro de execuções.Pelo menos 20 mil pessoas foram mortas no local pela polícia secreta de Stalin, a NKVD. As primeiras mortes ocorreram há exatos 70 anos.Centenas de pessoas participaram da cerimônia ao sul da capital da Rússia.Os eventos que marcam os 70 anos das muitas execuções de oponentes do regime de Joseph Stalin ocorreram em vários locais da Rússia.As cerimônias relativamente pequenas foram organizadas por grupos religiosos ou de defesa dos direitos humanos, sem participação do governo.James Rodgers, enviado especial da BBC a Butovo, afirmou que o local de execução anteriormente tinha funcionado como campo de tiro.As execuções foram pensadas por Joseph Stalin na década de 30 para consolidar seu governo. No dia 5 de agosto de 1937 a ordem N00447 para execução em massa de "elementos anti-soviéticos" foi divulgada.Além de ter como alvo opositores do Partido Comunista, a ordem também pretendia atingir o Exército, intelectuais e camponeses. Além das centenas de milhares de pessoas executados pela NKDV até 1938, outros milhões também foram enviados para campos de trabalhos forçados.As execuções em massa pararam em novembro de 1938, mas as prisões continuaram até a morte de Stalin, em 1953.Yulia Shcherbakova - agora com mais de 70 anos - explicou seu vínculo pessoal com o terror imposto por Stalin."É assustador pensar no passado. Lembro-me de pessoas em nossa pequena casa sendo presas. Eu tinha sete anos quando meu vizinho, um padre, foi levado. Ele desapareceu sem deixar rastros. E todos tinham medo de falar o nome dele", disse ela à BBC.A cruz de pinheiro siberiano foi colocada como centro do novo monumento às vítimas de Stalin em Butovo.Entre os executados no local entre 1937 e 1938 estavam cerca de mil padres, monges e freiras.Não se sabe exatamente quantas pessoas estão sepultadas no local.A cruz foi construída no Monastério Solovetsky, que foi transformado em um famoso campo de prisioneiros durante a época das execuções em massa.A cruz foi entregue em um barco e parte da rota usada na entrega seguiu o Canal do Mar Branco, um projeto de construção stalinista que custou a vida de milhares de condenados.Setenta anos depois, restaram apenas alguns milhares de sobreviventes da época.Grupos de defesa dos direitos humanos afirmam que estes sobreviventes nunca receberam uma compensação justa e muitos lutam para sobreviver com uma pequena aposentadoria.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.