Cruz Vermelha dará consultoria pós-traumática no RS

A Cruz Vermelha Brasileira (CVB) e a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) anunciaram nesta terça-feira que irão fornecer consultoria gratuita de médicos especialistas em situações pós-traumáticas para os sobreviventes e familiares de vítimas do incêndio da boate de Santa Maria (RS), que matou 231 pessoas na madrugada do último domingo.

GUILHERME WALTENBERG, Agência Estado

29 de janeiro de 2013 | 12h13

De acordo com nota emitida pelas associações, essa iniciativa visa a "prevenção de transtornos que possam ser desencadeados em virtude de traumas graves e estresse pós-traumático, matiz para possíveis transtornos como depressão, síndrome do pânico, transtornos alimentares, fobias, dentre outros".

Paralelamente, será colocado em prática o programa chamado "Cuidando do cuidador", que oferece apoio aos profissionais de saúde - como médicos e enfermeiros - e de atendimento e gestão da crise - como bombeiros e policiais.

"É normal que tragédias de grande proporção abalem profissionais de saúde diretamente envolvidos no socorro às vítimas. São profissionais, mas antes de tudo são seres humanos suscetíveis à dor alheia. O objetivo do programa é prestar apoio a estes profissionais", explicou Antonio Geraldo da Silva, presidente da ABP.

De acordo com as instituições, suporte semelhante também foi fornecido a parentes ou vítimas de outras situações traumáticas no Brasil, como as enchentes de Santa Catarina, em 2008, a queda do avião da Air France no Oceano Atlântico, em 2009 e a queda do avião da TAM em Congonhas, em 2007.

Israel presta condolências

O presidente de Israel, Shimon Peres, enviou carta ma segunda-feira à presidente Dilma Rousseff prestando condolências aos brasileiros, em razão do incêndio ocorrido em Santa Maria. Peres disse sentir "profunda consternação" com o fato e desejou a todos os feridos uma pronta recuperação. "Nossos corações estão com todos vocês neste momento de luto, enquanto inclinamos nossas cabeças e oramos junto, diante de tanta perda".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.