Cruzeiro naufraga na Antártica e 154 são retirados em botes

Navio teria se chocado com iceberg de madrugada ao sul da costa da Argentina.

Márcia Carmo, BBC

23 de novembro de 2007 | 09h59

Os 154 passageiros, de mais de 20 países, e tripulantes de um cruzeiro à Antártica foram retirados em botes salva-vidas nesta sexta-feira após o navio atingir um iceberg e naufragar.O navio M/S Explorer teria sofrido problemas, de madrugada, perto da ilha King George, no Oceano Atlântico, próximo às ilhas Shetland do Sul.O navio estaria levando passageiros de cerca de 20 nacionalidades diferentes.De acordo com a guarda-costeira argentina, que realiza trabalhos de resgate, com ajuda de barcos de outros países, os passageiros estão em botes salva-vidas e poderão demorar dois dias para chegar ao porto mais seguro, Ushuaia, na Patagônia.Por isso, a expectativa, segundo o canal 13 de televisão, de Buenos Aires, é de que os passageiros e tripulantes sejam levados para a ilha 25 de Maio, mais próxima do local do acidente."Acidente no melhor estilo Titanic", informou a emissora de TV.Membros da guarda-costeira britânica, presentes nas ilhas Malvinas (Falklands), perto do local do choque, estariam ajudando nos trabalhos de resgate.De acordo com a guarda-costeira, o capitão e cinco tripulantes permanecem à bordo do navio construído em 1969, mas já teriam sido alertados de que o navio terminaria afundando nas próximas horas.Outro navio, chamado Antarctic Dream, que também estava na região, teria sido desviado para ajudar no resgate.Segundo Andy Cattrell, porta-voz da Guarda Costeira britânica, as condições climáticas na região eram "boas" para esta época do ano, mas a temperatura baixa."Certamente não queremos ninguém dentro da água. Como estão todos em botes salva-vidas, eles deveriam estar bastante seguros, pelo menos no curto prazo", disse ele.Cattrell disse não ter informações sobre o que provocou o naufrágio, mas disse: "Deve ser algo bastante forte, para ser capaz de danificar o casco". A guarda-costeira argentina mandou helicópteros para o local do acidente.Este é o início da alta temporada dos cruzeiros na região da Antártica, um estilo de turismo que virou moda nos últimos dois anos entre passageiros de alto poder aquisitivo, como informam as emissoras de rádio e de televisão da Argentina.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
cruzeiroargentinaantárticaexplorer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.