ANTONIO MILENA | AE
ANTONIO MILENA | AE

CSN reverte prejuízo e registra lucro líquido de R$ 1,6 bi em 2015

No período a companhia concluiu a aliança estratégica com um consórcio asiático para a criação da Congonhas Minérios, o que ajudou o resultado

Fernanda Guimarães, O Estado de S.Paulo

29 Março 2016 | 08h59

SÃO PAULO - A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) teve um lucro líquido de R$ 2,37 bilhões no quarto trimestre do ano passado, ante um lucro de R$ 67 milhões observados um ano antes. O forte crescimento do lucro, destacou a empresa, é explicado pela combinação dos negócios de mineração da companhia, que foi concluída em novembro. Em 2015, a CSN reverteu prejuízo de R$ 112 anotado no ano anterior e registrou um lucro de R$ 1,616 bilhão.

Segundo o documento que acompanha o seu demonstrativo financeiro, a CSN concluiu a aliança estratégica entre a empresa e o consórcio asiático, que era sócio da Namisa, para a criação da Congonhas Minérios, nova empresa que combina os negócios de mineração (Casa de Pedra e Namisa) e a logística correlata. Assim, a Namisa pagou dividendos de US$ 1,4 bilhão. A CSN adquiriu, ainda 4% das ações da Congonhas Minérios que eram detidas pelo Consórcio Asiático, por US$ 680 milhões e outros 0,16% adicionais por US$ 27 milhões.

Dessa forma, explica a companhia no documento, foi aplicado o procedimento contábil de combinação dos negócios que gerou um ganho no resultado de R$ 2,9 bilhões. Na estrutura final da Congonhas Minérios, a CSN possui uma fatia de 87,52% e o consórcio asiático de 12,48%.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado no quarto trimestre foi de R$ 686 milhões, queda de 32% em relação ao visto um ano antes. No ano, o Ebitda ajustado foi de R$ 3,251 bilhões, retração de 31% na comparação com a geração de caixa de 2014. A margem Ebitda foi de 17% no quarto trimestre e de 20% no ano.

Já a receita líquida da CSN no quarto trimestre do ano passado chegou a R$ 3,678 bilhões, recuo de 3,7% em relação ao observado no mesmo período do ano anterior. No ano, a receita foi de R$ 15,332 bilhões, queda de 5%.

Vendas. As vendas de aço da CSN no quarto trimestre do ano passado somaram 1,13 milhão de toneladas, queda de 9,7% em relação ao observado no mesmo período do ano anterior. No ano as vendas chegaram em 4,99 milhões de toneladas, recuo de 4%.

No quarto trimestre, o mercado interno foi destino de 57%, sendo que no mesmo período de 2014 foi de 69%. As subsidiarias no exterior responderam por 37% das vendas, ante uma participação de 26% no mesmo período de 2014. Já no ano o mercado doméstico respondeu por 59%, ante uma fatia de 72% em 2014.

"No quarto trimestre de 2015, a CSN aumentou sua participação de produtos revestidos no volume de vendas totais, seguindo a estratégia de incremento de valor agregado do seu mix de produtos", frisou a companhia no documento que acompanha seu demonstrativo financeiro.

As vendas de minério de ferro, por sua vez, somaram 6,656 milhões de toneladas no intervalo de outubro a dezembro de 2015, recuo de 11,7% em doze meses. No ano, as vendas somaram 25,67 milhões de toneladas, retração de 11%. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.