Cultura Artística será reconstruído com sala única em SP

O Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico de São Paulo (Conpresp) aprovou ontem a reconstrução do Teatro Cultura Artística, no centro da capital paulista, destruído por um incêndio em agosto deste ano. O novo espaço vai preservar apenas o grande mosaico de Di Cavalcanti e parte das fachadas e foyers originais. De resto, será um Cultura Artística totalmente novo, com direito a garagem subterrânea e uma única sala adaptável para receber espetáculos de dança, peças teatrais e até shows musicais.O teatro original, construído entre 1947 e 1950 pelos arquitetos Rino Levi, Roberto Cerqueira César e Fª Pestalozzi, possuía duas salas distintas - a Esther Mesquita, com 1.156 lugares, e a Rubens Sverner, com 339 lugares. A reportagem apurou que o local terá agora apenas uma sala, com mais espaço para a platéia, para o palco e para o fosso, que poderá ser usada em diferentes eventos. Também serão construídos pelo menos dois andares para camarins, salas de apoio, espaços para ensaio e escritórios, além de um pavimento subterrâneo para estacionamento. Com projeto do arquiteto Paulo Júlio Valentino Bruna, que trabalhou com Rino Levi, o novo espaço ocupará dois terrenos - o do próprio teatro que pegou fogo e mais uma área anexa que já pertencia à Sociedade Cultura Artística. Ainda não há valores nem prazo para início das obras. A direção da sociedade espera apenas entrar o mais rápido possível com um pedido no Ministério da Cultura para obter incentivos fiscais a fim de bancar a construção - iniciada, ela deve demorar cerca de um ano e meio. As informações são do Jornal da Tarde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.