Cursos são reprovados por 61% dos concluintes

Mais de 60% dos concluintes se declararam insatisfeitos com a qualidade dos cursos, segundo a auditoria do TCU. A falta de professor é o maior problema: 22% dos alunos já deixaram de cursar ou concluir alguma disciplina por falta de professor.

O Estado de S.Paulo

26 de março de 2013 | 02h05

Aluna do ensino médio integrado técnico no Instituto Federal de São Paulo, Thalita Lins, de 18 anos, diz que ainda está sem professor de matemática.

"Até a semana passada não havia professor de Filosofia e Sociologia", afirma ela, que ainda reclama de goteiras na sala. "Até os professores reclamam, porque só há temporário", diz a colega Letícia Souza Freitas, também de 18.

O relatório mostra que o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) têm problemas de infraestrutura e os alunos desconhecem o currículo antes de entrar no curso. A reitora do IFPE, Claudia Sansil, discorda. "Há um grande esforço em fazer com que o estudante entre saia empregado."

Apesar de o Acre ser apontado como um dos Estados com o maior déficit de professores (40,1% do total necessário), o instituto federal do local negou que haja falta de professores.

O reitor do Instituto Federal do Piauí. Francisco Santana, disse que nenhum dos 11 câmpus conta com número suficiente de professores e técnicos. Apesar dos déficits em pessoal, o sistema continua em expansão: serão abertos mais seis câmpus no Estado. / ANGELA LACERDA, LUCIANO COELHO, ITAAN ARRUDA e P.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.