Da serra e do vulcão, mais opções

Além de grãos que não estão no mercado, o consultor Ensei Neto mostrou seu lado zen na degustação Novos Terroirs Brasileiros. Antes de provar as bebidas ele "viajou" ao Oriente, ensinando exercícios de ioga para estimular a produção de saliva. Depois do aquecimento começou a sequência de amostras, filtradas em coador de papel, de cafés de pequenos produtores, torrados pelo próprio Ensei. O capixaba de Iúna, região de serra, surpreendeu com suas notas de limão. O café do Chapadão de Ferro (MG), produzido em fazendas que ficam dentro da área de um vulcão extinto, resultou em uma bebida com traços minerais. A segunda aula foi sobre as regiões Mogiana (São Paulo) e sul de Minas. Ficou a visão de produto de terroir. "Quis dar um nó na cabeça das pessoas. A mesma variedade, com a mesma altitude e método de secagem idêntico pode se comportar de modos diferentes, segundo a latitude", ensinou.

11 Junho 2009 | 09h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.