Dantas volta a ser preso pela PF acusado de corrupção

Cerca de 10 horas após deixar acarceragem da Polícia Federal em São Paulo, o banqueiro DanielDantas voltou a ser preso na tarde desta quinta-feira, acusadode corrupção. De acordo com a assessoria de imprensa da PF, o juiz da 6aVara Federal Criminal de São Paulo, Fausto de Sanctis, decidiupela prisão preventiva do banqueiro por considerar que háindícios contundentes que Dantas tentou subornar um delegado daPolícia Federal, responsável pela operação que resultou em suaprimeira prisão e de mais 16 pessoas na terça-feira. Dantas havia sido libertado na manhã desta quinta-feirajunto a outros oito suspeitos, graças a habeas corpus concedidopelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes. Osdemais acusados que foram soltos junto com Dantas não voltarama ser detidos, segundo a PF. A Polícia Federal e o Ministério Público Federal acusamDantas de oferecer, por meio de dois intermediários, 1 milhãode dólares a um delegado da PF para fazer com que os nomesdele, da irmã Verônica e do sócio Carlos Rodemburg fossemexcluídos das investigações. Dantas também queria que a PFabrisse inquérito contra um antigo adversário. Em entrevista coletiva antes da divulgação da segundaprisão de Dantas, o advogado Nelio Machado, que representa obanqueiro, rebateu as acusações de suborno. "Não tenho notícia de nenhum procedimento do senhor Dantasque não fosse por meio de seus advogados", disse. "Repiloqualquer acusação relacionada a suposto suborno", completou. Indagado sobre a existência de imagens que comprovariam atentativa de corromper o delegado, Machado disse: "Eu não seiexplicar porque não sei o contexto dessas imagens". (Por Eduardo Simões, com reportagem adicional de RenatoAndrade)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.