Paulo Whitaker|Reuters
Paulo Whitaker|Reuters

De iluminado a esquecido no Palmeiras, Fabiano pode ganhar chance contra o Bahia

Com a suspensão de Mayke, Fabiano, que jogou pouco no Brasileirão, briga com Jean e o jovem Maílton por uma vaga entre os titulares

Ricardo Magatti, Especial para O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2017 | 11h00

De iluminado em 2016, quando fez o gol que decretou o título do Campeonato Brasileiro na vitória por 1 a 0 sobre a Chapecoense, a esquecido neste ano, temporada em que pouco atuou, o lateral-direito Fabiano pode ganhar uma nova chance entres os titulares do Palmeiras na partida diante do Bahia, no Pacaembu, no feriado da próxima quinta-feira, 12.

+ Gabriel Jesus: 'Evitei cartão para poder jogar no estádio do Palmeiras'

+ Em programa de TV, Neymar admite que foi torcedor do Palmeiras

Palmeiras pode vencer 12 jogos que faltam no Brasileiro, diz Tchê Tchê

O titular da posição, Mayke, que veio a pedido de Cuca já no decorrer do Brasileiro, está suspenso pelo terceiro cartão amarelo recebido na última partida, diante do Santos. Elogiado pelo treinador, Mayke não tem a titularidade ameaçada, mas a ausência pode servir para Fabiano, ao menos, ganhar mais espaço com Cuca.

Se Jean permanecer no meio, setor em que vem sendo escalado nas últimas partidas, o principal concorrente de Fabiano à vaga é o jovem Maílton, destaque do sub-20 e que vem treinando bem com os profissionais. "Se ele continuar assim, jogar bem no jogo-treino, ele (Maílton) joga", disse Cuca no início da semana. O jovem ainda não estreou pelo Palmeiras em jogos oficiais. Participou apenas de um amistoso na pré-temporada diante da Chapecoense.

Na atual temporada, Fabiano está em baixa. O jogador, que inicialmente chegou ao Palmeiras em 2016 por empréstimo, envolvido em um negócio entre Palmeiras e o Cruzeiro - Robinho e Lucas foram para o time mineiro e Fabiano e Fabrício vieram para o time paulista - atuou apenas em três partidas no Campeonato Brasileiro, sempre entrando ao longo do jogo.

Criticado constantemente por boa parte da torcida alviverde, o atleta claramente não é o preferido de Cuca e tinha mais espaço com o Eduardo Baptista, que o escalou em nove partidas, sete no Paulistão e duas na Libertadores, competição em que foi decisivo no confronto diante do Peñarol ao marcar o gol da sofrida vitória aos 51 minutos do segundo tempo. Na ocasião, após a vitória, o diretor de futebol do clube, Alexandre Mattos, elogiou o lateral.

"O Fabiano é um cara que o Palmeiras comprou, tem contrato longo, acreditamos. Deus está iluminando, toda hora fazendo gol. É um menino do bem. Não à toa que o Cruzeiro não queria ceder, três times queriam", disse o dirigente, que comprou 40% dos direitos do jogador por mais de R$ 7 milhões em um contrato de cinco anos.

Aos 25 anos, a única sondagem que Fabiano recebeu veio do futebol alemão. O Stuttgart sondou o atleta, que, por ter nascido uma cidade colonizada por alemães, fala o idioma fluentemente, mas o negócio não evoluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.