De olho em Síria e Irã, Israel reforça escudo de mísseis

JERUSALÉM, 5 AGO - Israel está aprimorando seu escudo de mísseis balísticos Arrow II em uma "corrida" apoiada pelos Estados Unidos contra o Irã, a Síria e outros inimigos regionais, disse uma autoridade sênior israelense neste domingo.

Reuters

05 de agosto de 2012 | 10h07

A nova geração Block 4 de foguetes interceptores guiados, radares e tecnologias para sincronizar o Arrow com sistemas norte-americanos estava sendo instalada em baterias israelenses, um processo que levaria várias semanas, disse a autoridade.

"A acurácia e o alcance serão maiores", disse a autoridade sobre o Arrow, que está em operação desde 2000 e é projetado para explodir mísseis agressores em altitudes altas o bastante para que ogivas não convencionais se desintegrem de modo seguro.

"Faz parte da corrida tecnológica na região", disse à Reuters a autoridade, que não quis ser identificada.

Há muito tempo nervosos com o polêmico programa nuclear do Irã, os israelenses ultimamente se preocupam com o fato de a insurgência síria afrouxar o controle de Damasco sobre suas armas químicas e mísseis.

Israel ameaçou atacar preventivamente os dois países, um prospecto que poderia provocar uma guerra mais ampla e bater de frente com os esforços de Washington para resolver a crise diplomaticamente.

O Irã, que nega buscar armas nucleares, prometeu retaliar contra qualquer ataque. "(Israel) sabe que atacar o Irã é um desejo inatingível, a menos que o regime queira cometer suicídio", disse o ministro da Defesa iraniana, Ahmad Vahidi, segundo a agência de notícias estatal Irna no domingo.

O Pentágono e a empresa norte-americana Boeing Co são sócios no Arrow, um investimento que o governo Obama espera que o ajude a apoiar Israel.

O secretário de Defesa dos EUA, Leon Panetta, disse na semana passada que interceptores israelenses como o Arrow e o Iron Dome, que derrubam foguetes de curto alcance de guerrilheiros, eram "projetados para evitar guerras".

O Arrow teve um sucesso de 80 a 90 por cento em testes em campo, disse à Rádio do Exército de Israel o projetista do sistema, Uzi Rubin.

(Reportagem de Dan Williams)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAISRAEL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.