De Strindberg ao sucesso nos EUA sem perder a irreverência

Transgressão é a palavra que marca a carreira do grupo

Antonio Gonçalves Filho, O Estadao de S.Paulo

30 de novembro de 2009 | 00h00

A exemplo do Ornitorrinco, o grupo teatral que leva seu nome nasceu híbrido, tentando acomodar seus fundadores, três personalidades diferentes entre si e que marcaram a história do teatro brasileiro com irreverência, inteligência e profissionalismo: Cacá Rosset, Luiz Roberto Galízia (1952-1985) e Maria Alice Vergueiro. Galízia morreu aos 33 anos, deixando um livro fundamental sobre o teatro norte-americano, Processos Criativos de Robert Wilson. Reverente, era muito diferente de Cacá. Descobriu em Maria Alice Vergueiro, professora de Cacá na ECA, uma atriz com potencial intimista, diverso daquele explorado em peças como A Mandrágora (dirigida por Boal) e O Rei da Vela. Incentivou Maria Alice e Cacá a montar Strindberg e Brecht, formando, no fim dos anos 1970, o embrião do que viria a ser o grupo - uma companhia dedicada à revisão dos clássicos (Shakespeare, Molière), modernos (Strindberg, Jarry, Brecht, Cocteau) e contemporâneos (Boadella).

Galízia deixou o Ornitorrinco justamente quando o grupo começava a ganhar projeção internacional. A terceira versão de Mahagonny Songspiel, da dupla Brecht e Weill, uma das melhores realizações de Cacá Rosset, causou frisson entre os críticos de Nova York, em 1984 - e foi vetada pela Fundação Weill, que julgou a montagem "corrompida". Já doente, Galízia não acompanhou a carreira da peça. No ano seguinte, o de sua morte, estreou aquele que é o maior sucesso popular do grupo, Ubu Pholias Physicas,Pataphysicas e Musicaes. O resto da história é conhecido. O Ornitorrinco lançou cantores (Edson Cordeiro), atores (Ary França), atrizes (Rosi Campos), convenceu o maior produtor teatral americano (Joseph Papp, de A Chorus Line) a montar Shakespeare no Central Park, trabalhou com Marisa Tomei (Oscar por My Cousin Vinny) e continua chacoalhando o bardo (no ano passado, foi a vez de A Megera Domada). A fórmula mudou, mas a transgressão continua.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.