De trabalho de faculdade a livro previsto para 2014: a história do maior catálogo de quadrinistas do País

Quando o jornalista Rafael Roncato fotografou o quadrinista Rafael Coutinho, autor de 'Cachalote' (Cia das Letras), para seu trabalho de conclusão de curso em 2010, ele não suspeitava os rumos que aqueles cliques dariam à sua carreira. "Um tempo depois, fui a um encontro de autores e percebi que não sabia identificar as pessoas."

O Estado de S.Paulo

08 de março de 2013 | 02h14

A necessidade de dar caras a seus ídolos e os retratos feitos para o trabalho de faculdade levaram ao .nankeen. (bit.ly/projnankeen): um álbum com os rostos de vários quadrinistas brasileiros. Para 2014, o plano é transformar o projeto em livro, em parceria com o IdeaFixa (ideafixa.com). "Ainda trabalhamos sem prazos, mas temos uma lista grande de pessoas que preciso fotografar", diz Rafael.

Segundo ele, o catálogo tomou proporções maiores do que as esperadas. "Era algo que eu fazia para mim, mas hoje pertence a eles", afirma. Do estranhamento diante das primeiras investidas do jornalista, os artistas passaram a procurá-lo. "Hoje eles ficam à vontade e me adicionam no Facebook, querendo participar."

Às vésperas da Feira Plana, no Museu da Imagem e do Som, onde Rafael pretende registrar outras faces para a sua coleção, 63 realizadores, entre roteiristas e ilustradores, já haviam participado do .nankeen., mas nem todos podem ser vistos na internet - algumas das fotos serão preservadas para a edição impressa do projeto e não entrarão no ar por enquanto.

"Estão todos conectados de alguma forma. A base parece ser a mesma: Laerte, Angeli, Glauco e Adão. Mas não há um gênero ou estilo predominante", afirma. Rafael lembra uma dica de Laerte para encontrar boas histórias em quadrinhos: "Ele disse ser preciso prestar atenção nas pessoas", uma recomendação que o jornalista, aparentemente, segue direitinho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.