Decisão sobre escolha do Catar à Copa será do comitê de ética, diz Blatter

À CNN, presidente da Fifa afirmou que não pretende iniciar apuração sobre suposta candidatura comprada.

BBC Brasil, BBC

06 Junho 2011 | 23h48

O presidente reeleito da Fifa, Joseph Baltter, disse que não vai iniciar uma investigação sobre a candidatura vitoriosa do Catar para sediar a Copa do Mundo de 2022.

Mas o suíço acrescentou, em entrevista à rede americana CNN, que se os comitês de Ética e de Soluções da Fifa "tiverem a impressão" de que há problemas na candidatura, esta poderá ser revisada.

A escolha do Catar para o Mundial de 2022 está sob escrutínio desde que surgiram alegações, levantadas por um e-mail de uma autoridade da própria Fifa, de que a candidatura poderia ter sido "comprada".

"Não sei por que deveríamos ir (investigar a postulação do Catar). Então teríamos de ir (investigar) todas (as demais sedes da Copa)", declarou Blatter.

A controvérsia em relação à candidatura vitoriosa foi fomentada quando o vice-presidente suspenso da Fifa Jack Warner tornou público uma mensagem de e-mail do secretário-geral Jerome Valcke, falando na possível "compra" da escolha.

Valcke em seguida alegou ter usado a palavra "comprada" em referência à força financeira empregada pelo Catar em sua candidatura e que isso não sugeria nenhuma improbidade.

O jornal britânico The Sunday Times havia previamente denunciado que os membros do comitê executivo da Fifa Issa Hayatou e Jacques Anouma teriam recebido US$ 1,5 milhão para votar pelo Estado do golfo Pérsico na escolha da sede.

Blatter, que acaba de ser eleito (sem oposição) a um quarto mandato na Fifa, após ter sido inocentado pelo comitê de ética da entidade de ter conhecimento sobre qualquer suposto caso de propina, disse que não está convencido pelas evidências contra a candidatura do Catar.

Ele afirmou que não há motivos para investigar o caso "por que alguém disse algo sobre o Catar".

"Se o comitê de Soluções ou o comitê de Ética tiverem a impressão de que devem fazer algo, então deixemos que eles tomem as decisões."

'Conselheiros'

Ao mesmo tempo, foi anunciado que o comitê de Soluções, criado como resposta de Blatter às acusações que recaem sobre a Fifa, será integrado pelo tenor de ópera Placido Domingo, pelo ex-secretário de Estado dos EUA Henry Kissinger e pelo ex-jogador holandês Johan Cruyff.

"Esses senhores serão mais ou menos conselheiros", declarou Blatter. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.