Decretada prisão de 3 PMs suspeitos de matar juíza

Três policiais militares, suspeitos do assassinato da juíza Patrícia Acioli, em 11 de agosto, tiveram as prisões temporárias decretadas ontem pelo plantão judiciário de Niterói, na região metropolitana do Rio. A Divisão de Homicídios da Polícia Civil concluiu o inquérito sobre o crime.

TIAGO ROGERO, Agência Estado

12 de setembro de 2011 | 09h44

O resultado será apresentado às 11h, em entrevista coletiva concedida pelo secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, o presidente do Tribunal de Justiça do Rio, Manoel Alberto Rebêlo, e o procurador-geral de Justiça, Cláudio Lopes.

Os três policiais já estão presos na Unidade Prisional da PM, acusados pela morte de um jovem de 18 anos em junho, no complexo do Salgueiro, em São Gonçalo. A juíza decretou as prisões poucas horas antes de ser executada com 21 tiros, quando chegava em casa. Os militares eram lotados no Grupo de Ações Táticas do 7º BPM (São Gonçalo).

Tudo o que sabemos sobre:
Patrícia Aciolijuízaexecução

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.