Dedo egípcio de 3.000 anos pode ser prótese mais antiga

Cientistas testarão a peça de madeira e couro, que era articulada e foi encontrada no pé de uma múmia

BBC Brasil, BBC

27 Julho 2007 | 18h00

Um dedo artificial encontrado no pé de uma antiga múmia egípcia pode ser a mais antiga prótese corporal do mundo, segundo especialistas britânicos. Uma equipe da Universidade de Manchester espera provar que o artefato de madeira e couro, chamado de "Dedo do Cairo", não apenas parecia com um verdadeiro, mas também ajudou seu dono a caminhar. Os cientistas vão testar uma réplica em voluntários que não tenham o dedão do pé direito. Se funcionar, o dedão será mais antigo do que a prótese atualmente considerada como a primeira prótese funcional do mundo, uma perna do ano 300 antes de Cristo. A Perna Capua Romana, feita de bronze, era mantida no Colégio Real de Cirurgiões em Londres, mas foi destruída durante um bombardeio da Luftwaffe na 2ª Guerra Mundial. "O dedo é datado entre 1.069 e 664 a.C., então se pudermos provar que não tinha apenas função estética, que funcionava, teremos antecipado a medicina prostética em pelo menos 700 anos", disse Jacky Finch, um dos chefes da pesquisa. Outros pesquisadores na Universidade de Salford também vão realizar testes com uma segunda prótese egípcia, ainda mais antiga, que atualmente está exposta no Museu Britânico. Esta outra prótese de dedão do pé é datada entre 1.295 e 664 a.C., é feita em cartonagem, uma técnica de fabricação de um tipo de papel machê, fabricado com linho, cola e gesso. Como o "Dedo do Cairo", este também mostra sinais de uso, sugerindo que foi usado por seu dono durante sua vida e não foi simplesmente colocado no pé durante o processo de mumificação, por razões religiosas ou de ritual. Mas, diferentemente do artefato do Cairo, este não dobra, sugerindo que seu uso fosse para fins estéticos. "O ''Dedo do Cairo'' é o que tem mais probabilidades de ser a prótese funcional, pois é articulado e mostra sinais de uso. Ainda está preso ao pé da múmia, uma mulher que tinha entre 50 e 60 anos. O local onde ocorreu a amputação está bem cicatrizado", disse Jacky Finch. O "Dedo do Cairo" está exposto no Museu do Cairo, no Egito.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
egito prótese arqueologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.