Defensores de casamento gay protestam em Los Angeles

Mais de mil manifestantes contra a Proposta 8 levaram bandeiras com a inscrição 'Todos somos um'

Efe

07 Novembro 2008 | 14h48

Os defensores dos casamentos homossexuais no estado da Califórnia saíram novamente às ruas nesta sexta-feira, 7, em Los Angeles para protestar contra a vitória nas urnas de uma proposta que poderia acabar com a legalidade destas uniões.   Veja também:  Eleitores da Califórnia aprovam proibição do casamento gay   Mais de mil manifestantes contra a chamada Proposta 8, que emenda a Constituição estadual para aceitar "apenas o casamento entre um homem e uma mulher" e impôs com 52,5% dos votos na terça-feira, concentraram-se no bairro de Westwood.   Eles levaram bandeiras contra esta decisão vinculativa, com a inscrição "Todos somos um", e entoam cântico a favor da igualdade de direitos civis.   A região escolhida é justamente em torno do templo da Califórnia da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, já que os presentes apontam os mórmons como um grupo que apoiou a proposta e arrecadou fundos para sustentá-la.   Estes protestos já haviam ocorrido na quinta-feira, 6, em West Hollywood, com uma grande comunidade homossexual, e em plena Hollywood, conhecida pela tendência liberal de suas celebridades.   A manifestação desta sexta-feira, 7, começou no início da tarde em Santa Monica Boulevard, e o Departamento de Polícia de Los Angeles está preparado, como informou, para prevenir possíveis confrontos, como ocorreu na quinta-feira, 6.   A Polícia precisou fechar algumas ruas e inclusive deteve sete manifestantes.   O jornal Los Angeles Times afirma que outro grande protesto esta marcado para esta tarde em torno do Pacific Design Center, também na área de West Hollywood, pelo que as autoridades fecharão o trânsito nessa região.   Outras manifestações menores ocorrerão ao norte de San Vicent Boulevard, a leste de Hollywood, no fim da tarde.   Mais manifestações   Os defensores do casamento de pessoas do mesmo sexo na Califórnia intensificaram hoje sua campanha em defesa deste tipo de união com a convocação de uma manifestação a ser realizada amanhã em Los Angeles.   "Temos uma sensação de surpresa e tristeza", disse hoje à Agência Efe Mónica Trasandes, diretora de comunicação em espanhol da Aliança Gay e Lésbica Contra a Difamação, sobre a vitória nas urnas de um projeto, conhecido como Proposta 8, que colocaria fim à legalidade dos casamentos homossexuais no estado da Califórnia.   "Em junho, ganhamos nosso direito, e agora tinham ele de nós. É lógico que há pessoas irritadas, somos pessoas normais e acho que existe falta de compreensão", assegurou.   Por isso, a coalizão AnswerLA, uma das entidades que promoveram as mobilizações anteriores, convocou para amanhã, a partir das 18h (hora local), um ato com os simpatizantes da causa na zona de Sunset com Santa Monica Boulevard, ao leste de Hollywood.   A organização quer que compareçam "todas as pessoas progressistas que defendam a igualdade e sejam contra a discriminação. Todo mundo deveria ter o direito de se casar", explica em seu site.   Corazón Ezquerra, membro do grupo organizador, acusou a campanha a favor da "Proposta 8" de usar "uma tática de mentiras e distorção da realidade", e revelou que já entrou com um recurso em um juizado contra a decisão, a qual qualificou de "discriminatória".   "Na história dos Estados Unidos, os direitos civis só foram conquistados com as pessoas protestando nas ruas, mostrando que estão unidas e que são fortes. Continuaremos nos manifestando quanto for necessário para que nossos direitos sejam reconhecidos", afirmou.   Nesse sentido também se pronunciou Rodney Scott, presidente da Los Angeles Pride, uma ONG que promove os direitos de gays, lésbicas e transexuais na cidade. Em entrevista à Efe, ele afirmou que a luta sempre foi "significativa" nos EUA.   "Na terça-feira, (os votos dos californianos) nos disseram que éramos cidadãos de segunda classe e que não podíamos ter os mesmos direitos que nossos vizinhos, e nossa comunidade diz que não, que isto não é aceitável", disse.   Além disso, o Centro de Gays e Lésbicas de Los Angeles anunciou a criação do site invalidateprop8.org, com a intenção de levantar fundos para lutar pela defesa do casamento gay, "uma união civil", lembrou Trasandes, "à margem da religião".   "Espero que chegue o dia em que haja Justiça para todos", afirmou.   Na quarta-feira desta semana, o escritório do Registro Civil do condado de Los Angeles deixou de expedir licenças matrimoniais para pessoas do mesmo sexo por causa da decisão tomada pela maioria dos californianos. A "Proposta 8" venceu com 52,5% do apoio popular.   No dia seguinte, milhares de pessoas voltaram a se manifestar pelas principais avenidas de Los Angeles, escoltadas por um grande dispositivo policial devido aos distúrbios registrados na quarta, que terminaram com sete detidos por confrontos com as forças da ordem.   "Este é um grande dia para o casamento", disse em comunicado Ron Prentice, presidente da ProtectMarriage.com, uma organização que defende esse tipo de sacramento como a união exclusiva de um homem com uma mulher.   "A população da Califórnia defendeu as uniões tradicionais e exigiu esta grande instituição", acrescentou.   A Corte Suprema da Califórnia reconheceu em maio o direito de pessoas do mesmo sexo de se casarem e, em junho, os homossexuais passaram a poder contrair matrimônio oficialmente.   Ampliada às 21h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.