Defesa Civil alerta para temporais em 15 Estados e em SC

Chuva deve ser acompanhada por raios e ventos de até 60 quilômetros; população deve evitar áreas de risco

Fabiana Marchezi, do estadao.com.br,

02 Dezembro 2008 | 13h25

A ocorrência de chuvas fortes deve continuar pelo menos até esta terça-feira, 2, em 14 Estados e no Distrito Federal, conforme alerta enviado às Defesas Civis do Estados pela Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec), do Ministério da Integração Nacional. Santa Catarina também deve ter chuvas fortes nesta terça.    Veja também: Saiba como ajudar as vítimas da chuva IML divulga lista de vítimas identificadas Repórteres relatam deslizamento em Ilhota  Mulher fala da perda de parentes em SC Tragédia em Santa Catarina  Blog: envie seu relato sobre as chuvas  Veja galeria de fotos dos estragos em SC   Tudo sobre as vítimas das chuvas      De acordo com a Sedec, os temporais devem atingir os Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Espírito Santo, Minas Gerais,Goiás, Mato Grosso, Distrito Federal, Maranhão, Bahia, Piauí, Amazonas, Tocantins, Acre, Rondônia e Pará. Em alguns momentos, a chuva poderá ser acompanhada por raios e ventos de até 60 quilômetros.   A Sedec recomenda que a população evite áreas de alagamentos e lugares que ofereçam pouca ou nenhuma proteção contra raios e ventos fortes. Há risco de deslizamentos de encostas, morros e barreiras. Os alertas foram baseados em informações do Centro de Previsão e Estudos Climáticos (Cptec) e do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).   Previsão para Santa Catarina  A passagem de uma frente fria no litoral sul do Estado de Santa Catarina deve garantir de quatro a cinco dias de tempo firme com pouca ou nenhuma chuva na região do Vale do Itajaí, onde estão as cidades mais afetadas pela tragédia. Mesmo sendo de baixa intensidade, a chegada da frente fria fez o Centro de Informações de Recursos Ambientais de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram) emitir um alerta máximo na madrugada da segunda, com a previsão de chuvas e trovoadas nas áreas das enchentes, por causa do choque entre o calor produzido ao longo do dia e a massa de ar frio. No meio da tarde, o Ciram rebaixou o alerta: a frente fria passou pelo litoral, não provocou as pancadas e ainda dissipou a massa de alta pressão estacionada no litoral catarinense - a principal responsável pelas chuvas constantes. "A frente fria já está no mar e com a chegada de uma massa de ar mais seca o tempo deve se estabilizar. Se tiver chuva, será por causa do calor do fim da primavera", disse o meteorologista Marcelo Martins, do Ciram. "O alerta foi mantido porque o solo ainda está úmido e há a condição de deslizamentos", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.