Defesa de pai e madrasta recorrerá após decisão do TJ

Segundo advogado, no pedido ao STJ serão usados os mesmos argumentos do habeas-corpus impetrado no TJ

da Redação, estadao.com.br

15 de maio de 2008 | 08h32

Os advogados de Alexandre Nardoni, 29 anos, e Anna Carolina Jatobá, 24, pai e madrasta da menina Isabella, vão esperar o julgamento do mérito do pedido de habeas-corpus pela 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ), que deve ocorrer na próxima terça-feira, para recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília. A decisão foi anunciada pelo coordenador da defesa, Marco Polo Levorin.  VEJA TAMBÉMAdvogado diz que pai de Isabella está 'abatido' no CDP Isolada e sem poder sair da cela, madrasta de Isabella 'só chora'Na TV, mãe de Isabella reafirma ciúmes de madrastaFotos do apartamento onde ocorreu o crime  Cronologia e perguntas sem resposta do caso  Tudo o que foi publicado sobre o caso Isabella  Na terça-feira, quando o desembargador Caio Canguçu de Almeida, um dos três integrantes da Câmara, negou liminar que tiraria o casal da prisão, os advogados disseram que iriam recorrer antes do julgamento do mérito. Segundo a defesa, no pedido ao STJ serão usados os mesmos argumentos do habeas-corpus impetrado no TJ. O pedido, em que a defesa alega não haver motivos para a prisão, contesta o despacho do juiz Maurício Fossen que aceitou a denúncia do Ministério Público e decretou a prisão preventiva do casal. O julgamento do mérito é a decisão final do TJ sobre o habeas-corpus.O casal está preso preventivamente desde o dia 18, pela morte de Isabella Nardoni, 5 anos. A menina morreu após ser atirada do 6º andar do prédio onde morava o pai e a madrasta, na zona norte de São Paulo, em 29 de março.

Mais conteúdo sobre:
Caso Isabella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.