Defesa do casal Nardoni deve recorrer ao STJ nesta quinta

Advogados decidiram recorrer antes da decisão da Câmara Criminal do TJ analisar o pedido de habeas

Carolina Freitas, Agência Estado

14 de maio de 2008 | 18h52

Os advogados de defesa de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá pretendem entrar nesta quinta-feira, 15, com um novo pedido de habeas-corpus para obter a liberdade do casal, desta vez no Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília. A decisão de recorrer ao STJ foi tomada antes mesmo de a 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) analisar o mérito do pedido.   VEJA TAMBÉM Advogado diz que pai de Isabella está 'abatido' no CDP Isolada e sem poder sair da cela, madrasta de Isabella 'só chora' Na TV, mãe de Isabella reafirma ciúmes de madrasta Advogados visitam Alexandre Nardoni na tarde desta quarta Pai de Alexandre diz que mãe mentiu em entrevista Julgamento pode ocorrer em 2009, diz promotor Fotos do apartamento onde ocorreu o crime  Cronologia e perguntas sem resposta do caso  Tudo o que foi publicado sobre o caso Isabella     O desembargador Caio Canguçu de Almeida, um dos três integrantes da Câmara, negou ontem liminar que tiraria o casal da prisão. Os magistrados se reúnem às terças-feiras e o julgamento do mérito pode ocorrer já na próxima reunião, dia 20. "Tomamos a decisão por uma questão de tempo", afirmou um dos três advogados do casal, Ricardo Martins, alegando que o julgamento no STJ será mais rápido.   Serão usados os mesmos argumentos do habeas-corpus impetrado no TJ, um documento de 96 páginas, em que a defesa defendia não haver argumentos para a prisão preventiva de Alexandre e Anna Carolina. Os advogados sustentam que o casal tem residência fixa e que não prejudicaria as investigações do caso.   A defesa ataca ainda os argumentos usados pelo juiz Maurício Fossen para pedir a prisão da dupla, de manutenção da ordem pública e da credibilidade da Justiça, dizendo que eles não autorizam a detenção.

Tudo o que sabemos sobre:
Caso Isabella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.