Defesa pedirá transferência de pai de Isabella do CDP

Advogado diz que CDP 'não tem comodidades condignas com a formação acadêmica de Alexandre'

Carolina Freitas, Agência Estado

15 de maio de 2008 | 14h58

Os advogados de defesa de Alexandre Nardoni pedirão, ainda esta semana, à Secretaria Estadual da Administração Penitenciária (SAP) de São Paulo a transferência do cliente para uma prisão com cela especial, para presos com nível superior. Acusado pelo assassinato de sua filha de 5 anos, Isabella, Alexandre está preso desde a terça-feira no Centro de Detenção Provisória 2 (CDP) em Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo.   VEJA TAMBÉM Licença de desembargador trava julgamento de habeas corpus Sorriso de Isabella assombra o Brasil, diz 'Le Monde' Advogado diz que pai de Isabella está 'abatido' no CDP  Isolada e sem poder sair da cela, madrasta de Isabella 'só chora' Fotos do apartamento onde ocorreu o crime  Cronologia e perguntas sem resposta do caso  Tudo o que foi publicado sobre o caso Isabella     De acordo com o advogado Ricardo Martins, o CDP não tem condições de receber Alexandre, que está detido em uma sala da enfermaria, com apenas um colchonete. "Ele tem direito assegurado pela lei de ficar em uma cela especial, por ter curso superior completo", afirmou Martins. "O CDP não tem comodidades condignas com a formação acadêmica de Alexandre." O réu é bacharel em Direito.   Caso a SAP aceite o pedido da defesa, Alexandre será transferido para a Penitenciária de Tremembé 2 ou de Araraquara, ambas no interior de São Paulo. Essas são as duas penitenciárias do Estado com celas especiais para presos com nível superior. Caso a SAP recuse a transferência, os advogados pretendem recorrer à Justiça para garantir a cela especial.

Tudo o que sabemos sobre:
Caso Isabella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.