Déficit em conta corrente recua em janeiro

O déficit em transações correntes do Brasil recuou em janeiro, acompanhando uma queda expressiva nas remessas de lucros e dividendos em meio à desaceleração econômica, e ficou abaixo do projetado pelo mercado e pelo próprio Banco Central, mostraram dados divulgados nesta sexta-feira. Os investimentos estrangeiros diretos também sentiram o efeito da crise externa e caíram em janeiro para patamar abaixo do estimado pelo BC. O déficit em conta corrente foi de 2,753 bilhões de dólares no primeiro mês do ano, frente a um déficit de 4,028 bilhões de dólares no mesmo período de 2008. No período, as remessas de lucros e dividendos caíram para 698 milhões de dólares, frente a 3,025 bilhões de dólares há um ano. Essa redução mais do que compensou a piora do saldo comercial --que passou de um superávit de 922 milhões de dólares em janeiro de 2008 para um déficit de 524 milhões de dólares no mês passado. "É uma redução expressiva e isso vai se dar ao longo do ano", afirmou o chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, acrescentando que o perfil atual das contas externas permite um ajuste "pronto" do saldo. "Em uma situação como essa em que você reduz a lucratividade, é natural que as remessas caiam." Para fevereiro, dado parcial do BC até esta sexta-feira mostra que as remessas somam 665 milhões de dólares. Pesquisa da Reuters mostrou que analistas apostavam em um déficit de 3,4 bilhões de dólares para janeiro. Em dezembro, o BC havia projetado um déficit de 3,2 bilhões de dólares para o primeiro mês do ano. Com a queda do déficit mensal, o saldo acumulado em 12 meses recuou para um déficit de 1,75 por cento do Produto Interno Bruto em janeiro, frente a um déficit de 1,78 por cento em dezembro. INVESTIMENTOS DIRETOS CAEM Os investimentos estrangeiros diretos no país somaram 1,930 bilhão de dólares no mês passado, ante 4,826 bilhões de dólares em janeiro de 2008 e frente a uma projeção de 2,5 bilhões de dólares da autoridade monetária. Altamir afirmou que nos últimos dias do ano houve um retorno de investimento na área de telecomunicações no valor de 600 milhões de dólares --venda pelo Citibank de sua participação na Brasil Telecom. O economista acrescentou que, independentemente dessa operação específica, o BC já esperava uma retração dos investimentos por conta da crise e, nesse novo cenário, os números de janeiro foram considerados "muito positivos". A projeção da autoridade monetária para os investimentos no ano é de 30 bilhões de dólares, contra os 45 bilhões de dólares registrados em 2008. Os investimentos estrangeiros em ações registraram uma saída líquida de 542 milhões de dólares em janeiro. Dados parciais de fevereiro (até dia 20) mostram que esse fluxo está positivo em 452 milhões de dólares no mês. Para fevereiro, o BC projeta que os investimentos estrangeiros diretos somarão 1,8 bilhão de dólares e o déficit em conta corrente ficará em 1 bilhão de dólares. (Por Isabel Versiani)

ISABEL VERSIANI, REUTERS

20 de fevereiro de 2009 | 13h32

Tudo o que sabemos sobre:
BACENEXTERNASJANEIROATUADOIS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.