Delegada diz ter certeza da participação de pai em crime

A delegada Caroline Bamberg Machado manifestou certeza de que o pai, a madrasta e uma outra mulher estão envolvidos com a morte do menino Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, em crime que comoveu o Rio Grande do Sul. O garoto desapareceu de casa, em Três Passos, no dia 4 de abril. O corpo foi encontrado em Frederico Westphalen, a 80 quilômetros de distância, na noite de ontem. O médico Leandro Boldrini, pai, a enfermeira Graciele Ugulini, madrasta, e uma amiga dela, de nome ainda não divulgado, foram presos preventivamente.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

15 Abril 2014 | 15h17

"Eu não tenho dúvida da participação deles, o que precisamos e o que é importante para conseguir uma condenação é identificar o que cada um fez, qual é a parcela de culpa de cada um", disse a delegada, em entrevista coletiva, na manhã desta terça-feira. A polícia desconfiou dos depoimentos contraditórios das duas mulheres e conseguiu pistas do garoto. O corpo foi localizado enterrado envolto em um saco plástico em um matagal próximo de um riacho. A mãe de Bernardo morreu há quatro anos. Bernardo será sepultado ao lado dela, em Santa Maria.

Mais conteúdo sobre:
RS menino desaparecido morte delegada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.