Delegado e policiais são presos em operação na Bahia

O delegado de Camacan (BA), a 510 quilômetros de Salvador, Jackson Silva, e o major da Polícia Militar José Silvério de Almeida Neto, comandante da Companhia Independente do município, foram presos, hoje, acusados de chefiar uma quadrilha que cometia crimes como receptação de carga roubada, extorsão, tráfico de drogas e homicídios na região sul da Bahia.

TIAGO DÉCIMO, Agência Estado

31 de maio de 2011 | 18h47

Além deles, foram detidos seis investigadores - um deles aposentado -, duas escrivãs, um sargento e dois soldados da Polícia Militar (PM), além de três empresários da região. Outras sete prisões foram feitas em flagrante, duas por peculato e cinco por porte ilegal de arma. Foram apreendidos dez revólveres, quatro rifles, uma carabina, uma pistola, mais de 200 munições de calibres variados e cinco veículos.

A operação conjunta da Secretaria de Segurança Pública da Bahia com o Ministério Público Estadual contou com 100 policiais, destacados para cumprir 21 mandados de prisão e 25 de busca e apreensão em cinco municípios do Estado - além de Camacan, Salvador, Ilhéus, Itabuna e Vitória da Conquista. As investigações começaram em novembro.

O delegado e os integrantes das Polícias Civil e Militar estão sendo encaminhados para as respectivas corregedorias, em Salvador. Já os empresários estão à disposição da Justiça no Presídio Regional de Ilhéus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.