Delegado explica indiciamento do prefeito

O delegado Marcelo Arigony rebateu na segunda-feira as acusações do prefeito de Santa Maria, Cezar Schirmer (PMDB), de o inquérito da tragédia na boate Kiss - que deixou 241 mortos em janeiro - ser um "absurdo jurídico". Cópia do texto foi enviada à Justiça para apuração de responsabilidade de Schirmer por "indícios de prática de homicídio culposo (sem intenção)".

AE, Agência Estado

26 de março de 2013 | 08h01

À RBS TV, Arigony citou, entre outras coisas, que a prefeitura respondeu a ofício do Ministério Público, de 2011, que as licenças da Kiss estavam vencidas. "Se tivesse fiscalizado, a casa estaria fechada ou teria se adequado." Na quarta-feira, quando a tragédia completa dois meses, moradores vão se manifestar com sinais sonoros, às 18 horas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
Santa Mariadelegado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.