Demanda por energia bate recordes nos EUA com onda de calor

A demanda por eletricidade bateu novos recordes e causou vários blecautes no leste dos Estados Unidos, enquanto milhões de moradores enfrentam níveis opressivos de calor e umidade, que prosseguem nesta quinta-feira. O Serviço Nacional de Meteorologia (NWS) emitiu alertas de calor para a área entre Massachusetts e Carolina do Sul, e partes de Oklahoma. Desde domingo, as temperaturas causaram pelo menos 13 mortes na região, e suspeita-se que tenham tido parte em outras sete.A mesma onda de calor é responsabilizada por 164 mortes ocorridas na semana passada, na Califórnia. Na Europa, que também sofreu com calor opressivo no mês de julho, o governo francês confirma 112 mortes provocadas pelo calor ao longo do último mês.Na cidade de Boston, espera-se o resultado da autópsia de uma gestante que caiu morta enquanto assistia a um jogo de beisebol, no campo. Os médicos foram capazes de realizar o parto do bebê. No Kentucky, um menino de 18 meses foi encontrado morto dentro de um carro.Representantes das geradoras de eletricidade pedem que os americanos resistam à tentação de ligar os aparelhos de ar-condicionado no máximo. A Consolidated Edison, que fornece energia para a cidade de Nova York, bateu seu segundo recorde consecutivo de demanda. As companhias de eletricidade Long Island Power Authority e ISO New England também informam consumo recorde.Equipes patrulham as ruas de Nova York, procurando por sem-teto e encorajando-os a se dirigir a abrigos com ar condicionado. Autoridades em Washington também fizeram patrulha de porta em porta para convencer os moradores a ficar em casa, disse Mark Brown, vice-diretor da Agência de Gerenciamento de Emergências municipal.

Agencia Estado,

03 de agosto de 2006 | 13h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.