Democratas criam time de futebol para atrair hispânicos

Ativistas filiam latinos ao partido durante jogos da equipe do Los Democratas.

Bruno Garcez, BBC

21 de janeiro de 2008 | 14h05

Os democratas permanecem invictos, após quatro vitórias consecutivas e um empate. Não, não se trata do partido político, mas sim da equipe de futebol Los Democratas, patrocinada pelo Partido Democrata de Nevada.Após terem amargado duas derrotas consecutivas nos últimos oito anos para seu maior rival, o Partido Democrata lançou uma ofensiva futebolística para conquistar um time que até pouco tempo parecia ter caído nas graças dos republicanos: os eleitores latinos.A jogada se deu em agosto de 2007, quando os democratas de Nevada começaram a patrocinar um time de futebol de Las Vegas e rebatizaram a equipe como Los Democratas.A idéia era atrair eleitores hispânicos aficionados em futebol, mas que não tinham ligação com a política.A equipe comanda a Liga de Futebol de Las Vegas, que é formada por mais de 10 mil jogadores. Antes de cada uma de suas partidas, ativistas do Partido Democrata promovem o registro de eleitores latinos, em mesas montadas ao lado do campo.'Paixão política'Até o momento, centenas de eleitores hispânicos se juntaram ao partido em Nevada graças aos Los Democratas. "Já é possível sentir a mudança", afirma o capitão do time, o volante Lalo Arredondo. "As pessoas desenvolveram uma paixão por política. Elas vêm falar comigo após os jogos e me perguntam quem está na dianteira nas pesquisas, quem ganhou os caucus. Não era assim antes."Arredondo é natural do México, tem 25 anos e se tornou um cidadão americano há apenas seis meses. A despeito de ter obtido a cidadania há pouco tempo, ele já é um ardoroso democrata.Ele está apoiando Hillary Clinton, a quem preza por sua trajetória política. "Ela tem a experiência necessária, após ter passado anos no Congresso", afirma. "Obama (o senador Barack Obama) fala muito sobre esperança, mas é como no futebol, é preciso conciliar esperança e experiência.""A história de Lalo é uma bela história, nós o ajudamos a se naturalizar. Em seguida, o ajudamos a se registrar para votar e, na semana passada, ele participou de seu primeiro caucus (a prévia eleitoral, em Nevada)", diz Andres Ramirez, membro do Partido Democrata de Nevada e um dos idealizadores do Los Democratas."Isso mostra como, por meio de seu amor pelo futebol, ele se tornou também um apaixonado pela política", acrescenta. RecrutamentoRamirez e seu amigo de colegial Ruben Kihuen, um deputado estadual de Nevada, estavam pensando em formas pelas quais poderiam atrair os eleitores latinos."Estávamos discutindo maneiras de alcançar os hispânicos, que, normalmente, não se interessam por política, não vão a comícios, não atuam como voluntários em campanhas e, muitas vezes, nem lêem sobre política", conta."Como eu próprio já havia jogado futebol antes, pensei: 'Por que não patrocinar uma equipe de futebol?'". Pouco depois, nascia o Los Democratas.Um torcedor do Democratas e jogador amador, o lojista Carlos Quezada, é o perfeito exemplo de um hispânico que antes não tinha qualquer envolvimento com política, mas que aderiu ao Partido Democrata graças à campanha de recrutamento ligada ao time de futebol."Eu me tornei um seguidor dos democratas", afirma Quezada. "Os republicanos fizeram muitas promessas que não foram capazes de cumprir. Os democratas estão pressionando por uma reforma na lei de imigração, enquanto os republicanos estão pregando a divisão de famílias de imigrantes."Além dos argumentos políticos, o torcedor acrescenta que o time do Los Democratas é "uma equipe talentosa".Em sua mais recente partida, realizada neste fim de semana, Los Democratas tiveram um desempenho que faz jus ao seu crescente número de torcedores, ao vencer a equipe adversária por 7 a 0, em um amistoso.O treinador do time chegou a afirmar para seus atletas: "A outra equipe é ruim, então podemos marcar uns 10 gols em cima deles". Uma determinação que pode servir como inspiração ao Partido Democrata para a eleição presidencial de novembro deste ano.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.