Democratas voltam a cogitar 'chapa dos sonhos' Obama/Hillary

Agora que as chances de HillaryClinton se sagrar a candidata democrata à Presidência parecemestar se acabando, alguns democratas voltam a falar napossibilidade de que ela seja candidata a vice de Barack Obama. "É algo que este partido terá de pensar muito seriamentenas próximas semanas", disse o ex-deputado Harold Ford,presidente do Conselho da Liderança Democrata, em entrevista àMSNBC. Na terça-feira, Obama consolidou ainda mais o seufavoritismo ao obter uma folgada vitória na Carolina do Norte eum resultado acima do esperado em Indiana. Há cerca de dois meses, as especulações sobre uma chapareunindo os dois rivais já haviam aparecido. Depois de venceras primárias do Texas e de Ohio, a própria Hillary disse que opartido poderia estar "se encaminhando" para isso, mas com elacomo candidata a presidente, e Obama como vice. Para alguns democratas, uma chapa Obama/Hillary é uma idéiafascinante, pois poderia cicatrizar as feridas deixadas pelalonga disputa interna e levar o partido unificado para aeleição de novembro contra o republicano John McCain. Segundo uma pesquisa CBS News/New York Times divulgada nasemana passada, a maioria dos eleitores de Obama e de Hillaryseriam favoráveis a essa "chapa dos sonhos". "As pessoas estão parando para se perguntar por que indicaralguém que tem 51 por cento dos votos, se dá para indicar umachapa que tem [quase] 100 por cento dos votos", disse SamAurora, porta-voz do auto-explicativo grupo Vote Both ("vote emambos"). Mas Obama por enquanto evita especular sobre isso. Ocoordenador da campanha dele, David Plouffe, disse naquarta-feira a jornalistas que o senador no momento estáconcentrado em vencer as seis disputas restantes e obter osvotos dos superdelegados (dirigentes partidários e ocupantes decargos eletivos, que podem votar em quem quiserem na convençãopartidária). A campanha de Hillary também foi vaga, dizendo que oassunto ainda não foi discutido com o grupo rival. "A senadoraClinton diz que é prematuro discutir tal chapa. Não ouvi delanenhum interesse nessa chapa", disse o porta-voz HowardWolfson. Um estrategista democrata que apóia Hillary, mas jáconsidera sua candidatura inviável, duvida que a "chapa dossonhos" faça sentido para ele ou para ela. "Acho que, se Clinton fosse a indicada, ela não terianinguém para escolher senão Obama", afirmou esse estrategista,pedindo anonimato. "Mas, da perspectiva de Obama, seu argumentoé a mudança, [e] acho que ele faria melhor em escolher outrapessoa." Do ponto de vista de Hillary, acrescentou essa fonte, "nãosei se ser vice-presidente seria tão útil assim para o seufuturo político". "Acho que ela pode ter uma enorme influênciano Senado por um longo tempo." E um ex-assessor do governo de Bill Clinton disse duvidarque Obama queira levar o ex-presidente e a ex-primeira-dama devolta para a Casa Branca. Essa fonte disse que Hillary, que como primeira-dama já foiencarregada de realizar uma ampla tentativa de mudar o sistemade saúde pública, também esperaria tarefas grandiosas comovice-presidente. "Ela foi uma oponente formidável até agora. Dá paraimaginar como seria tanta proximidade na Ala Oeste [da CasaBranca] entre o gabinete do vice-presidente e o Salão Oval [ogabinete do presidente]? Acho que ela estaria por lá um poucoalém da conta." (Reportagem adicional de Caren Bohan)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.