Demolição da Cracolândia começa em outubro

A antiga Cracolândia, região rebatizada de Nova Luz, no centro de São Paulo, começa a ir ao chão no mês que vem. A Prefeitura prepara o pregão para demolir os 50 imóveis que já foram desapropriados. ?O projeto começa a tomar forma, porque são justamente os imóveis na área onde nós poderemos construir tanto a sede da Prodam (Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Município) como a de uma secretaria ou da própria Subprefeitura (da Sé)?, diz o secretário de Coordenação das Subprefeituras e subprefeito da Sé, Andrea Matarazzo. Os primeiros imóveis que já estão em posse da Prefeitura estão entre as Ruas General Couto de Magalhães, dos Protestantes e Mauá. A estimativa da Subprefeitura da Sé é de que existam 1.500 imóveis nos 270 mil metros quadrados de área decretada de utilidade pública.A primeira idéia depois da desapropriação total é dividir tudo em lotes e leiloá-los. Duas grandes construtoras já teriam manifestado interesse na área - a Odebrecht e um consórcio de empresas encabeçado pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), que encomendou um projeto ao arquiteto Jaime Lerner, ex-governador do Paraná. Segundo fontes do mercado imobiliário, a Odebrecht continua com grande interesse na região. Procurada, porém, a empresa não quis dar detalhes sobre seus planos para a Nova Luz. Já o Secovi não respondeu à solicitação de entrevista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.