Denúncia contra médicos cresce 75% em 7 anos em SP

De 2000 a 2006, o número de médicos denunciados ao Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) passou de 2.026 para 3.569 - crescimento de 75%. Os processos em andamento também aumentaram: 120%. No mesmo período, o número de médicos inscritos no conselho saltou de 70 mil para 92.517.Os resultados, apresentados ontem pelo Cremesp, em São Paulo, também revelam que cerca de 35% das denúncias e 43% dos processos contra os médicos estão ligados a supostos casos de negligência, imperícia ou imprudência. No topo do ranking dos mais denunciados estão os cirurgiões plásticos. Em seguida, aparecem os urologistas, cirurgiões de trauma e neurocirurgiões. A lista é organizada de acordo com uma taxa que leva em conta o número de especialistas em relação ao número de denunciados e o tempo de exercício profissional.Para Henrique Carlos Gonçalves, presidente do Cremesp, o crescimento das denúncias está ligado ao grande número de faculdades de Medicina. Com 167 cursos em funcionamento, o Brasil fica na frente de países como China e EUA, perdendo apenas para a Índia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

AE, Agencia Estado

10 de outubro de 2007 | 10h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.