Desabamento de mina na República Centro Africana mata 25 pessoas

Pelo menos 25 pessoas morreram após o desabamento de uma mina de ouro 60 quilômetros ao norte da cidade de Bambari, na República Centro Africana (RCA), disse nesta sexta-feira Ahmat Negat, porta-voz dos rebeldes Seleka, de maioria muçulmana.

REUTERS

22 Agosto 2014 | 10h29

A mina de Ndassima foi aberta em uma colina na floresta, e fica ao norte do quartel general Seleka, em Bambari. O local é de propriedade da empresa canadense Axmin, mas foi tomada por rebeldes há mais de um ano, e agora compõe parte de uma economia ilícita que abastece o conflito sectário no país. 

Pelo menos 27 mineiros foram soterrados pelo colapso da mina na quinta-feira, e 25 corpos foram recuperados, disse Negat. 

Em Ndassima, os trabalhadores operam sob a sombra dos combatentes Seleka para produzir 15 quilos de ouro por mês - que valem cerca de 350 mil dólares no mercado local, ou o dobro disso no mercado internacional. 

Milhares de pessoas morreram e mais de um milhão deixaram suas casas na RCA em meio à violência entre os rebeldes Seleka e a milícia cristã. 

Cerca de 2 mil soldados franceses e 6 mil da União Africana foram destacados para a RCA, mas eles têm tido dificuldades em ajudar o fraco governo de transição a impor sua autoridade sobre o país rico em minérios. 

(Por Crispin Dembassa-Kette)

Mais conteúdo sobre:
RCA MINA DESABAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.