Desabrigados e Prefeitura do Rio continuam a negociar

Cerca de 60 desabrigados continuam esperando por uma solução para a falta de moradias junto à sede administrativa da Prefeitura do Rio, na Cidade Nova, no centro do Rio. Eles estavam até sexta-feira passada,11, na chamada Favela da Telerj, instalada em um prédio abandonado pela empresa de telefonia Oi, no Engenho Novo, zona norte.

ROBERTA PENNAFORT, Agência Estado

16 de abril de 2014 | 12h40

O grupo, que já chegou montar acampamento com 700 pessoas na porta do centro administrativo municipal, ainda acredita que conseguirá pressionar o município a dar casas para todos. "Tem muitos oportunistas, gente de outras comunidades que vêm para cá perguntando ''É aqui que estão cadastrando para o Minha Casa Minha Vida?''", disse a costureira Vera Lúcia Monteiro, de 44 anos, que estava na ocupação do prédio abandonado e participa do grupo desde a sexta passada.

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SMDS), que negocia com os desabrigados, já cadastrou mais de mil famílias para eventual inscrição no Minha Casa Minha Vida. Segundo o órgão, não há como fornecer casas ou mesmo aluguel social de imediato, pois é preciso avaliar a situação socioeconômica de cada um primeiro. A frente da Prefeitura continua tomada por dezenas de guardas municipais para evitar que o grupo volte para o local.

Tudo o que sabemos sobre:
desabrigadosRioprefeitura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.