Desafetos, Romário e Zico jogarão juntos

Antigos desafetos, Zico e Romário vão se reencontrar domingo, no Maracanã. O Baixinho aceitou convite para disputar o Jogo das Estrelas, um evento beneficente organizado por Zico. E os dois vão jogar no mesmo time pela terceira vez num jogo não-oficial. "Não é porque tive um problema com esse ou aquele jogador que vou deixar de convidá-lo. Romário sempre foi um ícone do futebol. Tivemos problemas, mas não misturo as coisas", disse Zico.

Bruno Lousada, O Estadao de S.Paulo

24 Dezembro 2009 | 00h00

A rixa entre os dois ganhou proporções maiores antes da Copa do Mundo de 1998, na França. Romário atribuiu a Zico, então coordenador-técnico da seleção, toda a culpa pelo seu corte às vésperas do início do Mundial. Na época, o Galinho de Quintino alegou que tomou essa medida porque o atacante estava contundido.

Em retaliação, Romário mandou pintar uma charge do desafeto segurando um papel higiênico, na porta do banheiro de seu antigo bar. Zico abriu processo contra o atacante e afirmou ontem que não vai retirar a ação, que tramita em segredo de Justiça. "Nunca quis um centavo do Romário, mas precisava defender o meu nome", afirmou Zico, que ganhou um presente de Natal - uma estátua com sua imagem será inaugurada no sábado, no Hall da Fama do Maracanã.

Zico aproveitou para cutucar Ricardo Teixeira. "O presidente da CBF disse a Patrícia (Amorim, presidente do Flamengo) que ela buscaria o hepta (brasileiro)", revelou. "Esse assunto enche a paciência", emendou, referindo-se ao fato de que a CBF não reconhece o título do Flamengo de 1987 e considera o clube pentacampeão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.