Descoberta ocorreu em 1990

Descoberto cemitério clandestino em Perus ? com essa chamada, o Estado noticiou, na capa da edição de 5 de setembro de 1990, a localização de cerca de 1.500 corpos em uma vala comum do Cemitério Dom Bosco, na zona Oeste de São Paulo.

DANIEL BRAMATTI, O Estadao de S.Paulo

27 de novembro de 2009 | 00h00

A mesma edição registrava a determinação da então prefeita Luiza Erundina para que a identificação dos corpos fosse feita por peritos do Instituto Médico-Legal (IML) e da Universidade de Campinas (Unicamp).

O Ministério Público Federal conseguiu identificar, a partir de 2005, apenas três corpos de vítimas da ditadura. Outras dez ossadas analisadas não pertencem a desaparecidos, segundo as investigações. Ainda há cerca de mil corpos à espera de exames.

O Ministério Público pediu à Justiça, em caráter liminar, que a União providencie recursos para que os exames sejam retomadas em, no máximo, 180 dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.