Descoberto fóssil mais antigo de baleia-direita

Esqueleto exposto em museu japonês tem pelo menos 5 milhões de anos

Agencia Estado

06 Julho 2007 | 16h18

Pesquisadores informaram nesta quarta-feira, 4, que um museu em Nagano, a 180 quilômetros de Tóquio, abriga fósseis de baleia-direita com pelo menos 5 milhões de anos, o que os torna os mais antigos restos fossilizados do animal em todo o mundo. Os cientistas responsáveis pela descoberta estimam que os fósseis do crânio e da mandíbula do animal, expostos no Museu Shinshushinmachi, sejam até 2 milhões de anos mais velhos do que um esqueleto de baleia-direita encontrado na Itália - até então o registro mais antigo da espécie. "Este foi um achado incrível", disse o curador do museu, Ken Narita. Os fósseis foram descobertos em 1938, quando moradores encontraram a espinha e uma costela do cetáceo "brotando" do solo. O achado, porém, não foi desenterrado, pois, na época, o Japão estava em plena guerra. Pesquisadores só retornaram ao local onde jaziam os fósseis em 1967. O que encontraram, porém, não foi muito animador: partes do esqueleto foram espalhadas ou perdidas. Restaram apenas o crânio e a mandíbula superior. Os restos, no entanto, só foram datados recentemente, informou Narita. Origem Quanto à origem, acredita-se que os restos desta baleia-direita sejam diferentes dos fósseis encontrados até então. Esqueletos do cetáceo já foram escavados na Europa, mas o fóssil que está exposto no Japão, por sua idade, sustenta a hipótese de que as baleias-direitas tenham se originado no Pacífico Norte, ressaltou Toshiyuki Kimura, curador do Museu de História Natural de Gunma. Kimura é um dos pesquisadores envolvidos na datação do fóssil. Atualmente a espécie corre risco de extinção e é protegida da caça pela Comissão Internacional Baleeira. Estima-se que no Atlântico Norte restem apenas 350 baleias-direitas, segundo uma pesquisa do governo dos Estados Unidos.

Mais conteúdo sobre:
baleia baleia-direita

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.