Descoberto gene ligado à Síndrome de Down

Cientistas identificaram um gene que é, possivelmente, a causa da deficiência mental que acompanha a Síndrome de Down. Esse gene, quando expressado em excesso, faz com que os neurônios responsáveis pela atenção e memória se atrofiem e deixem de funcionar normalmente. A pesquisa foi conduzida por cientistas da Universidade Stanford e do Lucile Packard Children´s Hospital, e será publicada na edição desta semana da revista Neuron.Segundo os pesquisadores, a descoberta oferece a esperança de que, no futuro, os médicos possam interferir ou mesmo reverter o declínio cognitivo que freqüentemente afeta os portadores da síndrome a partir da meia-idade."Se conseguirmos reduzir a expressão desse gene, poderemos ser capazes de oferecer algo além de apoio e cuidados para as pessoas com a síndrome", disse o médico William Mobley, um dos autores do estudo. A Síndrome de Down é causada por uma cópia extra do cromossomo 21, o que deixa os portadores com três. Além de enfrentar dificuldades cognitivas precoces, risco de problemas cardíacos e leucemia, muitos portadores de Down desenvolvem o Mal de Alzheimer ao chegar aos 40 anos.Já se sabia que mutações do gene identificado pelos pesquisadores, o App, podiam causar o aparecimento precoce de Alzheimer em pessoas saudáveis, mas esta é a primeira vez que ele aparece ligado diretamente à degeneração de um grupo específico de neurônios no cérebro dos portadores de Down. Outro autor do artigo, Ahmad Salehi, sugere que talvez não seja necessário descobrir uma forma de desativar de vez o gene App, mas apenas restringir sua atividade. A pesquisa foi realizada em ratos, e os pesquisadores notam que simplesmente eliminar a terceira cópia do App dos ratos afetados não produziu um animal normal. Isso indica que outros genes também devem interferir no ritmo e na gravidade da degeneração dos neurônios.

Agencia Estado,

05 de julho de 2006 | 18h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.