Descoberto na Síria muro com pintura mais antiga do mundo

Arqueólogos francesesdesenterraram no norte da Síria um muro de 11 mil anos pintadoem vermelho, preto e branco, um artefato que, segundo disseram,é o mais antigo do mundo desse tipo, apesar de se parecer comuma obra de arte moderna. A pintura de 2 metros quadrados foi encontrada debaixo deuma camada de terra em um sítio arqueológico do Neolítico, emDjade al-Mughara, à margem do rio Eufrates (a nordeste dacidade de Aleppo), afirmou à Reuters o chefe da missão, EricCoqueugniot. "A aparência lembra a de pinturas modernistas. Algunsacharam semelhança com o trabalho de Klee. Por meio da dataçãopor carbono, descobrimos que é de cerca de 9.000 a.C.", disseCoqueugniot. Coqueugniot referia-se ao pintor suíço-alemão Paul Klee,que teve ligações com a escola Bauhaus e foi um representantede peso do movimento modernista na Alemanha. "Encontramos uma outra pintura perto dela. Mas essa só seráretirada no próximo ano. Esse é um trabalho demorado", afirmouo arqueólogo, que trabalha no Centro Nacional de PesquisasCientíficas, um órgão da França. Os retângulos dominam a pintura milenar, que fazia parte deum muro de adobe circular presente em uma grande casa com tetode madeira. As escavações na área começaram no início dos anos1990. A imagem foi restaurada e será levada ao museu de Aleppo em2008, disse Coqueugniot. A pintura em muro tida antes como a mais antiga do mundohavia sido encontrada na Turquia. Essa, no entanto, foirealizada 1.500 anos depois daquela de Djade al-Mughara,segundo a revista Science. Os moradores de Djade al-Mughara viviam da caça e daingestão de plantas selvagens. Pareciam fisicamente com o homemdos dias modernos, mas não conheciam a agricultura e nem acriação de animais, disse o arqueólogo. "Havia um motivo para que uma pintura desse tipo fossefeita em uma casa que parecia ser comunitária. Mas não sabemosqual é esse motivo. O vilarejo acabou sendo abandonado e acasa, preenchida com lama", contou. "Esse local parece ser um dos muitos ocupados por vilarejosneolíticos na área em que hoje estão a Síria e o sul daTurquia. Esses vilarejos parecem ter mantido ligações uns comos outros e realizado trocas pacíficas", disse Coqueugniot.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.