Descoberto sistema que regula produção de gordura e colesterol

Pesquisadores da Escola de Medicina de Harvard e do Hospital Geral de Massachusetts identificaram como um sistema de moléculas regula a produção de gordura e colesterol no corpo, um passo que poderá ajudar a criar tratamentos para síndrome metabólica, o conjunto de doenças que inclui colesterol alto, obesidade, diabetes tipo 2 e pressão alta. O estudo está publicado na versão online da revista Nature e sairá na edição impressa de 10 de agosto."Identificamos uma proteína-chave, que age em conjunto com uma família de sistemas moleculares para ativar a produção de colesterol e gordura (ou lipídios)", diz o principal pesquisador da descoberta, Anders Näär. "A identificação dessa interação da proteína e a natureza da interface molecular poderão, um dia, permitir um tratamento mais abrangente da síndrome metabólica".Níveis altos de colesterol e lipídios estão ligados a uma série de doenças e problemas de saúde relacionados entre si, incluindo hipertensão, gordura no fígado e obesidade. Após uma refeição, uma família de proteínas ativa a produção de gordura e colesterol. Essa família é conhecida como SREBP. Entre refeições, a produção do colesterol e da gordura deveria parar, mas o excesso de comida e a falta de exercícios parece perturbar o equilíbrio que controla as SREBPs, levando à superprodução.No artigo da Nature, a equipe de cientistas mostra que a proteína ARC105 é essencial para controlar a atividade das SREBPs. Segundo Näär, isso pode representar o "calcanhar de Aquiles molecular, que pode ser atacado por remédios". Os pesquisadores descobriram que, eliminando a ARC105 de uma cultura de células humanas, as SREBPs não funcionavam mais como ativadoras de gordura e colesterol.Para testar a descoberta num organismo, os pesquisadores se voltaram para o verme C. elegans, e descobriram que quando as moléculas análogas às SREBPs e à ARC105 eram desativadas no animal, ele perdia a capacidade de acumular gordura, pôr ovos e se mover normalmente.

Agencia Estado,

02 de agosto de 2006 | 19h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.